Voltar
BLOG DO VENDEDOR

Dicas para gerenciar sua loja na internet

Como gerenciar sua loja na internet? Manter uma rotina, acompanhar os pedidos e ter controle financeiro são práticas importantes.
A forma como você escolhe gerenciar sua loja na internet está diretamente relacionada as suas chances de ser bem sucedido nesse empreendimento. É preciso se planejar e ter compromisso com as tarefas que o trabalho demanda, como coordenar o estoque, acompanhar os pedidos, controlar as finanças, investir na divulgação e analisar o que pode ser melhorado.

7 passos para gerenciar sua loja na internet

1. Crie uma rotina

Com a sua loja virtual em funcionamento, é imprescindível desenvolver uma rotina de trabalho para que você e sua equipe (caso tenha uma) consigam suprir todas as demandas dentro do prazo. Para isso, faça uma lista de tarefas diárias, separe-as por ordem de prioridade e designe os responsáveis por cada uma delas.

Exemplo de atividades que podem estar no seu cronograma: atualizar o inventário, separar os pedidos, imprimir as etiquetas para envio, fazer as embalagens, responder mensagens dos clientes, postar nas redes sociais da loja.

Supervisione cada uma destas etapas para evitar qualquer imprevisto e evite deixar que as tarefas se acumulem.

2.Gerencie seu estoque

Comprar um produto e receber a mensagem que a compra foi adiada ou cancelada porque ele não está disponível, certamente é frustrante para o consumidor e prejudica a credibilidade de uma empresa. Para prevenir que problemas como esse aconteçam, é preciso estar sempre atento ao estoque.

Para fazer isso de uma forma correta, separe os produtos em categorias, faça periodicamente a contagem do estoque e cheque se os itens estão cadastrados corretamente na sua plataforma de e-commerce. Existem alguns sistemas de gestão de estoque que podem facilitar esse processo para sua loja, os chamados ERPs podem ser customizados de acordo com sua necessidade e irão economizar seu tempo nesta etapa.

Por exemplo, se você tem uma loja de livros pode separá-los pela primeira letra do título ou pelo nome do autor. No caso de uma loja de acessórios, categorizar por modelos, como brincos, colares e pulseiras e ainda fazer subdivisões por tamanho e cor é indicado.

Se você é quem fabrica seus produtos, é necessário também manter um controle da matéria-prima disponível em estoque. Assim você consegue identificar quando será necessário fazer novos pedidos aos fornecedores e estimar, com precisão, os prazos de entrega para os clientes. Para isso, além de cadastrar os produtos, registre as matérias-primas utilizadas em cada um deles e dê baixa no inventário quando usá-las.

Analisar a frequência da saída de um produto é crucial para revendedores, pois assim é possível determinar a quantidade mínima do estoque e de quanto tempo é preciso fazer a reposição. Isso ainda te auxiliará a identificar aqueles produtos que ficaram empacados e que valeria a pena colocar em promoção.

3. Acompanhamento de pedidos e logística

O trabalho de gerenciar sua loja na internet não se restringe a realizar vendas, pelo contrário, é preciso acompanhar o envio dos pedidos e se certificar que os clientes irão recebê-los dentro do prazo. Receber produtos com avaria e atraso são motivos para muitos consumidores deixarem de comprar em uma loja, resultando em feedback negativo, perda de credibilidade da marca e custos adicionais com a devolução.

Independente se você optou por trabalhar com entrega própria, pelos correios ou transportadora, esteja a par de todas as etapas do processo. Seja transparente com o consumidor e não deixe de enviar o código de rastreio.

Uma alternativa para a logística da sua loja virtual é o sistema de cross docking, onde o fornecedor armazena os produtos e só os encaminha para você quando o cliente realiza a compra. Ou seja, você não precisa ter o trabalho de manter o estoque, cuidará apenas da parte do envio.

Uma das vantagens de vender na Amazon é que ela também permite com que você utilize o método FBA (Fulfilled by Amazon) para realizar suas vendas, que funciona da seguinte forma: você compra seus produtos e os envia para um armazém da Amazon, que fica responsável pelo manuseio e entrega.

Uma taxa de armazenamento é cobrada para utilizar esse serviço, mas a vantagem é que seus produtos serão incluídos na categoria Prime, um clube de vantagens em que os clientes possuem frete gratuito.

Além disso, a Amazon se responsabiliza pelas devoluções e trocas, incluindo o atendimento ao cliente, ou seja, você terá a tranquilidade de contar com os serviços da melhor operadora de logística do mundo.

Outra possibilidade é o sistema dropshipping, em que você atua como intermediador entre o fornecedor e o consumidor. A sua loja é responsável pela venda e comunicação com o cliente, mas é o fornecedor quem armazena, separa e envia o produto.

4. Controle suas finanças

A gestão financeira de uma loja virtual é essencial para o sucesso dela, portanto, implemente um sistema de controle de entrada e saída de caixa. Isso te permitirá ter uma noção real do lucro da sua empresa e se prevenir contra o risco de ficar endividado.

Atualize constantemente o fluxo de caixa, pode ser através de uma planilha manual ou em um sistema automático. Mas, não deixe de registrar os gastos e investimentos, incluindo o pagamento de impostos e taxas.

O custo de ter uma loja na internet depende do tamanho dela e do modelo de negócio. É recomendável consultar um contador para se informar dos impostos que precisam ser pagos e quando é obrigatório emitir nota fiscal.

Para evitar prejuízos, vale a pena cultivar uma boa relação com seus fornecedores. Assim você reduz o risco de ficar sem um produto e consegue receber tudo dentro do prazo para não ter que cancelar vendas, por exemplo.

5. Divulgação da sua loja

Em um mercado tão competitivo como o virtual, onde encontramos inúmeras lojas com os mesmos produtos, é preciso pensar em formas de gerenciar sua loja virtual para conquistar visibilidade.

Uma dica é investir na estratégia de marketing de conteúdo, através da divulgação da sua loja em diferentes plataformas, como nas redes sociais e em um blog da sua marca.

Esse tipo marketing é focado na criação de conteúdos que conversam com o perfil do seu público, sanando as indagações dele. É possível fazer isso por meio de imagens, textos e vídeos, faça testes para entender o que vai funcionar melhor para seus consumidores.

Uma tática muito importante relacionada ao conteúdo é a análise de SEO, que consiste em identificar palavras-chave que são usadas no seu nicho de mercado e distribuí-las nos conteúdos produzidos.

Você poderá utilizá-las na descrição de produtos, na produção de textos para o blog da sua marca e nos posts no Instagram, por exemplo. Isso facilita com que a sua loja apareça nos resultados de busca orgânico do Google.

As redes sociais também fazem parte da estratégia de divulgação, atuando como uma vitrine dos seus produtos. Aproveite os espaços dos canais de mídia para apresentar a sua marca, interagir com o público e formar vínculos. O que auxilia a fortalecer a imagem da empresa e enfatizar seus diferenciais.

6. Monitore o desempenho da loja

O que melhorar no atendimento ao consumidor? Quais produtos têm mais saída? Em quais áreas você deve investir? Para responder estas perguntas com precisão é indispensável acompanhar o desempenho da sua loja, o que pode ser feito por meio de diversas ferramentas.

Uma delas é o Google Analytics, que permite identificar a quantidade de acessos que sua loja recebe, quais são as páginas mais visitadas pelo cliente e o tempo médio gasto em cada uma delas.

Para complementar esses dados, você pode usar o Google Search Console, que fornece informações sobre o desempenho do seu site em pesquisas orgânicas do Google. Isso ajuda a identificar as áreas que precisam ser otimizadas para que seu site tenha um bom crescimento.

Nas redes sociais da sua loja virtual, você também tem vários relatórios disponíveis, como uma relação dos posts que tiveram melhor desempenho e informações sobre o perfil do seu público. Os marketplaces, como a loja Amazon, também oferecem dados valiosos direto na plataforma.

É recomendável analisar as seguintes métricas:

- Custo de aquisição de clientes;
- Número de vendas concluídas;
- Taxa de abandono de carrinho;
- Ticket médio das compras;
- Retorno sobre o investimento;
- Número de visitas e impressões;
- Índice de pedidos com problemas;
- Quantidade de envios tardios;
- Taxa de cancelamento anterior ao envio;

Lembre-se que uma venda termina apenas quando o produto está nas mãos do cliente, sem necessidade de assistência por parte da loja, como uma troca, por exemplo. Mas mesmo depois de uma compra finalizada, existem dados para analisar.

O chamado pós-venda é importante para você ter uma visão geral de todo o processo, no qual o cliente te dá um feedback, seja avaliando o produto no seu site, e você mantém um relacionamento com o mesmo, criando uma base para que o mesmo volte a comprar de você ou indique para outras pessoas.

7. Automatize o que puder

Para facilitar o processo de gerenciar sua loja na internet, a dica é automatizar quantas etapas for possível. Dessa forma, você economiza tempo e não precisa atualizar as planilhas manualmente, sem correr o risco de se esquecer durante a correria do dia a dia.

A primeira dica é optar por um Customer Relationship Management ou em português Gestão de Relacionamento com o Cliente. O CRM, como é chamado, é um sistema que integra todas as informações relacionadas aos seus clientes, ajudando no gerenciamento da empresa, na captação de potenciais clientes e na identificação de oportunidades de venda.

Automatizar o controle de estoque é uma estratégia para prevenir que seja vendido uma quantidade maior do que o número de produtos disponíveis. Assim que um produto é comprado, já é feita a baixa no seu inventário, para que você não tenha nenhum prejuízo. Você pode optar por encontrar um parceiro de gerenciamento de pedidos, como a SGPweb, para otimizar nesta etapa.

Os sistemas de pagamento e gestão financeira são outros que merecem ser automatizados, garantindo que o fluxo de caixa esteja sempre atualizado.

É possível automatizar também ações de marketing, por exemplo, ao criar posts para suas redes sociais e blog e deixá-los programados para serem publicados na data e horário que você indicar. Essa é uma ferramenta útil para não perder o timing de posts sazonais.

Entre as vantagens de vender na Amazon, o lojista conta com o serviço de SPN - uma rede de prestadores de serviço que, ao dar algumas informações básicas, o sistema indicará de forma automática uma lista de contatos que te ajudarão a resolver seu problema.

Tenha sucesso em sua loja virtual com um gerenciamento inteligente

Um bom plano de ação vai garantir que todos os aspectos de sua loja virtual estejam funcionando corretamente, mas é preciso ter disciplina e investir tempo nisso.

Avalie todas as opções disponíveis de sistema de vendas, logística, estoque, finanças e divulgação, para entender o que vai ser possível aplicar em seu negócio. Pode ser difícil no começo, com muitos afazeres e pouco retorno, mas lembre-se que todas as lojas virtuais de sucesso já passaram por isso.

Para mais dicas de como gerenciar sua loja na internet acompanhe nosso blog, e para vender mais, conheça as vantagens do marketplace da Amazon.
Voltar
Veja também: histórias de sucesso de vendedores

Comece a vender hoje

Mostre seus produtos aos milhões de clientes que compram na Amazon todos os dias.
R$19,00 por mês + comissão
R$2,00 por item + comissão
© 2020, Amazon Services LLC. Todos os direitos reservados. Uma empresa da Amazon.